top of page
  • Foto do escritorCarlita

Dia Mundial das Alergias


Hoje, dia 8 de Julho, assinala-se o Dia Mundial das Alergias... ah... ahh.. atchim! Desculpem-me. :)


Não podia deixar de escrever sobre este dia que tanto me diz, basicamente desde que nasci e que me tem acompanhado de diversas formas, em diferentes momentos.


Atenção, escrevo não enquanto especialista na matéria, tirei comunicação e não

Imunoalergologia ou qualquer coisa semelhante; mas sim pela experiência que tenho na matéria. 34 anos de rinite alérgica e muitas crises de asma pelo meio acho que me atribuem esse direito!


Pois bem, a fantástica alergia que nos mete os olhos para dentro, esfregamos, esfregamos e esfregamos, coçamos o nariz, a garganta, espirramos vezes sem fim até ficarmos estafados... alguém mais se identifica? E estas alterações de tempo, a chegada da Primavera, todo um festival nesta casa... todos temos alergias!


O meu amigo pólen....

Muito resumidamente, uma alergia é quando o nosso corpo reage a algo exterior, regra geral com manifestações muito significativas e só conseguimos controlar se retirarmos esse elemento (ou os vários) da nossa vida.


Há vários tipos de alergias, e vários tipos de sintomas, sendo a mais grave a anafilaxia, que coloca em risco a vida humana.


Da minha experiência, as alergias dividem-se em respiratórias e alimentares. As respiratórias são aquelas cujos sintomas já descrevi e que temos de picar os braços ou as costas para descobrir, efetivamente, ao que somos alérgicos.

Eu sou alérgica ao pólen, muito alérgica ao pó e ácaros, perfumes, gatos, ou seja, tudo o que seja felpudo e fofinho não dá para mim.


Ácaro lindo

Depois há outro tipo de alergia, as alergias alimentares que têm sintomas muito próprios, e que a única solução é a exclusão do alimento na sua totalidade.

O meu filho mais velho nasceu com APVL - alergia à proteína do leite de vaca, e não podia consumir nada que tivesse leite de vaca. Por isso, desde há 8 anos que nos habituámos às bebidas vegetais.

Um pormenor das alergias alimentares nas crianças é que tendem com o crescimento a desaparecer por completo, dando depois origem a alergias respiratórias.

Cá em casa não podia ser de outra maneira, pai e mãe cheios de rinite!!! Filhos começam com as alergias aos alimentos, depois passa e ficam fanhosos! :P

Em relação aos outros alimentos que não consumo não tenho alergia comprovada, como é o caso do glúten, mas tenho intolerância. São conceitos diferentes que se resolvem da mesma maneira: exclusão desse alimento na dieta!


É relativamente comum ser alérgico a frutos secos

Lado mau das alergias: uma vez tendo não há como dar a volta à coisa. Sim, há alguns tratamentos que apaziguam, através de vacinas, mas não resolve por completo.


Lado bom das alergias: inventaram os anti-histamínicos, que nos deixam com uma bela moca, mas ajudam muito em alturas de crise.


Se alguém souber uma solução milagrosa para eu não ter de limpar o pó sempre de máscara, é favor partilhar!!!


Os meus melhores amigos

E desse lado, muitas alergias? Como se têm estado a sentir este ano?

Eu ando particularmente mal, vale-me mesmo a medicação, e a instabilidade do tempo não ajuda nada ao processo.


Adoro gatos, meu querido Mikas, mas estar contigo ao colo vale-me 50 espirros...


29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page