top of page
  • Foto do escritorCarlita

Dia Internacional do Animal Abandonado, com a AAAAMoita


O passado sábado, dia 21 de Agosto, assinalou o Dia Internacional do Animal Abandonado.


Uma triste realidade, que temos em demasia no nosso país. Há quem defenda que temos de olhar é pelos seres humanos, eu cá, sou mais apologista de que temos de olhar e cuidar de todos. Porque se os animais também servem como companhia, se são presença obrigatória em tantas famílias, todos devemos olhar por todos, é um dever cívico.


É tão fácil adorar animais, principalmente animais que são fieis, que nos deslumbram e se deixam deslumbrar por nós. É amor. Só quem nunca teve um animal é que não percebe.

Eu tive um gato, encontrado na escola, bebé, levei-o a medo para casa, tinha 3 semanas de vida, o meu eterno Fofinho, foi parte integrante da família durante 18 anos, e faleceu de velhinho.



Há tantos animais a precisar de um lar, de amor, de carinho e acredito também que há muito boa gente que tem isso tudo para dar, apenas ainda não descobriu este maravilho mundo.


Para nos ajudar a perceber melhor esta realidade dos animais abandonados, hoje contamos com uma presença especial: a AAAAMoita - Associação dos Amigos dos Animais Abandonados da Moita.



Assim, colocamos algumas questões que espero serem elucidativas para todos:


Quais as principais dificuldades com que se depara uma associação, cuja única finalidade é ajudar animais abandonados?


"Uma associação sem fins lucrativos, como a nossa, que sobrevive de ajudas de particulares, a principal dificuldade com que se depara é conseguir angariar meios financeiros que permitam garantir a alimentação, cuidados veterinários, medicação dos nossos animais e condições dignas do espaço que os abriga.

Outra dificuldade é a incompreensão da parte de muitas pessoas de que estas associações são um conjunto de pessoas comuns com outros trabalhos, famílias e vidas pessoais, unidas pelo amor aos animais, que desenvolvem um trabalho que é da responsabilidade de todos. Que estamos limitados pelas dificuldades económicas e limitação do espaço físico para acolher todos os animais para os quais nos pedem ajuda."



Do ponto de vista de quem está dentro dessa realidade, que convive e recebe com frequência animais abandonados, qual considera ser a justificação para infelizmente ser um fenômeno tão frequente?


"Uma forte aposta em campanhas de esterilização de animais de rua iria diminuir em muito o número de animais abandonados. Não existem donos para todos os animais. Muitos gatinhos e cachorrinhos que nascem na rua perdem a vida vítimas de acidentes, maus tratos, doenças ou acabam por viver uma vida inteira dentro de quatro paredes de uma boxe, numa associação.

Seria também importante existirem ajudas financeiras para famílias carenciadas. Pessoas que perderam os seus empregos, que se divorciaram, cujas vidas mudaram e que deixaram de ter capacidade de sustentar os seus animais.

Outro fator que contribui para o abandono, são adoções pouco conscientes. Pessoas que adotam porque é moda ter um animal de uma determinada raça, para ser uma prenda para os filhos, por exemplo, ou porque nestes tempos de pandemia que atravessamos estavam em casa sozinhos e não têm noção dos gastos, trabalho e dedicação necessários quando assumimos a responsabilidade por uma vida.

Há que ter noção que é uma responsabilidade assumida para a vida daquele animal. Que não é para ser descartado à primeira contrariedade.

Também chegam até nós muitos pedidos de ajuda para animais cujos donos faleceram ou vão para lares e os familiares não podem ficar com eles."



Como podemos alertar, ainda mais, a sociedade para o grande pormenor de os animais precisarem de um lar, e como são importantes no desenvolvimento e integração das crianças e jovens?


"A mudança como a sociedade vê os animais passa por uma consciencialização desde tenra idade de que são seres sencientes, que sentem frio, fome, dor, que sofrem, que não são coisas.

É também importante promover os benefícios que os animais trazem em determinadas terapias e que são uma forte ajuda emocional para crianças e adultos."



No caso de alguém querer adotar um dos animais da associação, ou querer ajudar, como poderá fazer?


"Poderá contactar-nos através da nossa página de facebook no sentido agendar uma visita ao nosso abrigo, para conhecer os nossos animais, no caso de querer adotar, conhecer o espaço e as tarefas a realizar, na eventualidade de querer ser voluntário ou de ficar a saber quais as nossas principais necessidades, se pretender ajudar com bens ou monetariamente."



________________________________________________________________________________________________________


Desde já o nosso muito obrigada à Associação por ter sido tão recetiva e nos facultar estas informações, mas melhor do que agradecer por palavras é por gestos. E que trabalho, todo ele voluntário, tão nobre!


VAMOS REUNIR DONATIVOS PARA ESTAS PATINHAS, PARA ENTREGAR DIA 4 DE SETEMBRO! QUEM SE JUNTA A NÓS?


Para cão ou gato: patés húmidos, ração, areia para gatos, produtos limpeza, donativos, tudo é bem vindo! Vamos ajudar e fazer diferente este ano?




109 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page