top of page
  • Foto do escritorCarlita

Dia Mundial da Grávida


Hoje comemora-se um dia particularmente especial: o Dia Mundial da Grávida!

Eu, que já passei duas vezes pelo processo, decidi escrever um pouco sobre o tema.


A Gravidez em si é todo um mundo de perguntas e respostas, principalmente a primeira gestação, onde partimos para o desconhecido com uma mescla de emoções.


A maternidade é um dom, e há mulheres que nascem com ela, outras que a descobrem à posteriori e outras que não sentem esse chamamento, e está tudo bem em todas as variações. Defendo muito que cada pessoa deve ser feliz com a sua realidade, seja com 10 filhos ou sem nenhum, desde que esteja bem assim.


Eu sou do tipo que nasceu para ser mãe. Tenho um instinto maternal inato, cresceu comigo, que aos 7 anos "adotei" a minha irmã. Costumo dizer que "só não a pari". E tem-se agudizado com o passar dos anos, um filho, dois filhos, um sobrinho, e o amanhã logo se vê, mas de certa forma são todos meus, e é um orgulho e preenchimento de coração!

5 meses do André

Ambas as minhas gravidezes foram planeadas. Fui mãe cedo para os tempos que correm, cheguei aos 30 já com dois filhos, o meu André e o meu Alexandre, e não tenho um batalhão de filhos porque a logística da coisa seria uma autêntica encruzilhada.


Uma gravidez é um estado de graça, e só quem passa ou passou consegue ter essa perceção. Desde o momento em que vemos o positivo do teste, sentir o primeiro pontapé, deixar de ver os nossos pés, é todo um filme. E as hormonas comandam completamente a coisa.


Há mulheres que não gostam de estar grávidas e são tão válidas, como quem adora esse estado, mas no final custa a todas. Mais não sei quantos quilos a mais, não ter posição para dormir, ter azia logo ao pequeno-almoço, deixar de se conseguir calçar ou simplesmente andar sempre de chinelos de dedo... E cada gravidez é única, mesmo que na mesma mulher.


A rebentar...


A minha primeira gravidez foi difícil no início. Tive uma ameaça de perda logo nas primeiras semanas, repouso absoluto e medo com ansiedade à mistura, mas felizmente correu tudo bem. Voltei ao trabalho, em Lisboa, apanhava 3 transportes para chegar lá e 3 transportes para voltar, e nem sempre conseguia ir minimamente confortável.

Gravidez não é doença, concordo, mas se vamos de pé num autocarro apinhado de pessoas, acreditem que não é muito confortável. Até que um dia, lembro-me como se fosse hoje, entrei e uma senhora gritou: "Deixem passar, vem aí uma grávida....", eu se tivesse um buraco escondia-me acreditem, mas a barriga já não deixava. Engordei 20 quilos, rebentaram-me as águas às 38 semanas, tive cerca de 4 horas de trabalho de parto e no momento da verdade, agarrada ao marido, jurei que não queria mais...


Inchada, eu? Naaaaaa

A segunda gravidez, também ela super desejada, aconteceu dois anos e meio depois. Podem ver como fiquei traumatizada com a coisa. Queríamos muito, e gostávamos que tivessem pouca diferença de idade. Era mais um menino, o Alexandre.

Foi espetacular, porque fiz 3 testes até dar positivo mas desde o primeiro teste que eu sabia que estava grávida. O meu corpo dizia-me, é inexplicável este sentimento.

Uma gravidez mais calma por um lado, mas com um pequenote para cuidar ao mesmo tempo, desta vez só apanhava 1 transporte (progressos!), e lá andei a passear a barriga contente e orgulhosa.

Cresceu logo muito cedo, nem deu tempo de as estrias voltarem ao lugar, outra barriga gigante, enjoos, azia, enfim o "normal" e fantástico neste mundo das gestantes.


Do Alexandre entrei em trabalho de parto ao final da tarde, também às 38 semanas, a coisa deu-se à velocidade da luz, e o meu pai teve um sexto sentido, pois estava comigo quando as contrações começaram logo num ritmo de trepar paredes.

Assinei o consentimento da entrada no bloco de partos já deitada a gritar pela "epidural!!", que não cheguei a levar. Ele nasceu às 21:20h. Um parto à moda antiga sem direito a nada, da pressa que ele tinha em vir conhecer-nos.


Alex no forno...

Uma gravidez é um momento mágico na vida de um casal, em especial no da mulher. Gozem cada segundo, aproveitem todas as sensações, mesmo as más, não sabem quando e se voltarão a acontecer.


O melhor desta vida.... Dia a seguir ao parto do Alexandre

E um Dia Fantástico e Mega Feliz às Grávidas do Momento!!!!!


52 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page