top of page
  • Foto do escritorViver Alternativo

Dia Mundial do Não Fumador - por Carlos Alves



Hoje, dia 17 de Novembro, assinala-se o Dia Mundial do Não Fumador, e tendo em conta o impacto que isso tem na nossa sociedade decidimos escrever sobre ele com um testemunho bem real - o do meu pai.


Para quem nunca experimentou, continue assim, é uma excelente opção. Para aqueles que já fumaram e tiveram a consciência que tinham de parar e conseguiram, os nossos parabéns, são grandes e fontes de exemplo!!

Para os que ainda fumam... não desistam, não desanimem, nunca é tarde demais para mudar e neste caso para muito melhor. Trata-se de saúde, unicamente saúde. (nem refiramos o aspeto económico... mas senão cuidarmos de nós, quem cuida?!)


Posto isto, deixo-vos com as respostas de alguém que fumou durante mais de 20 anos, cresceu com uma realidade, mas soube quando e como parar, de forma exemplar!!!

Pai, és um exemplo daqueles!!!! Que sirva de inspiração para alguém desse lado..


Toda a gente consegue mudar!



__________________________________________________________________________________________

VA - Quando começaste a fumar e por que motivos?


Comecei a fumar com 17 anos e por motivos de âmbito juvenil, pois alguns dos meus amigos fumavam e, como era filho de fumador, decidi iniciar-me em tempo de ferias escolares quando passava uma temporada das festas da Moita na fazenda da avó do meu grande e saudoso amigo Cocas (o sapo) – Fernando Paulino.


VA - Quantos anos fumaste e com que frequência?


Fumei até aos 39 anos e o costume era fazer render “o peixe”, pois fumava 1 maço por dia.


VA - Em que altura da vida tomaste consciência que tinhas de parar?


Quando entrei na fase dos 30 anos tomei consciência que era um mal para a saúde e para a carteira. Por vezes sentia um cansaço enorme quando fazia alguns esforços, por vezes quando jogava futebol e sabia de onde vinha o mal...


VA - Como é que se consegue quebrar com um vício de anos, radicalmente, de um dia para o outro?


Após varias tentativas frustradas, decidi que tinha que deixar de um dia para o outro – de modo radical – mas seria muito difícil se o fizesse sozinho, por isso optei pela solução de ajuda com os adesivos no braço, o que apesar de sair mais caro que o tabaco, foi a ajuda definitiva para abandonar o vicio. Ainda os usei por cerca de 2 meses e nunca mais fumei até hoje. Mesmo! Por outro lado tinha um prazer diário, que era fumar o meu cigarrinho com o café após as refeições. Aí é que era um grande problema a ultrapassar. A estratégia foi fazer com que o café me soubesse mal e optei por deixar de pôr açúcar no café…foi remedio santo! Até hoje bebo o café sem açúcar.



VA- Que conselhos podes dar a quem está a tentar deixar de fumar?


O conselho essencial é a força de vontade de querer mesmo deixar de fumar, ou seja, tem que ser uma vontade absoluta da própria pessoa. Recomendo que seja com algum apoio complementar por forma a ajudar, principalmente naqueles momentos em que a vontade aperta. Fazer desporto irá ajudar, não só a deixar de fumar como em tempos de pós-fumador.

Posso afirmar que foi uma das mais difíceis decisões que concretizei, mas valeu a pena. Tal como um grande amigo meu dizia, a despesa anual com o tabaco paga umas excelentes ferias! Por isso boas ferias!...sem tabaco.


___________________________________________________________________________________________





Obrigada pai!!!

Pelo testemunho!

Por seres um grande exemplo!

Por estares sempre cá!

Por seres como és!!



Posts recentes

Ver tudo

Joana Cruz

Comments


bottom of page