top of page
  • Foto do escritorJoana

De repente já nos 30

30! Já 30! De repente 30! Não sei como cá cheguei. Não sei mesmo. Passou tudo rápido. Demasiado rápido. Celebro este dia parecendo-me que o peso da idade é algo a ter em conta, mas também como se fizesse 18 anos. Não tenho realmente noção do que é ter 30 anos. Não o sinto na alma. Não era suposto tudo estar definido, ou pelo menos encaminhado, quando se tem esta idade? Sinto que tenho a vida pela frente, que ainda há muito por descobrir, por mudar, por criar. Não o digo por dizer. Digo porque é a realidade.



É quase inevitável que, quando celebramos o nosso aniversário, especialmente quando se trata de uma data "redonda", façamos um "balanço" do que foi a nossa vida. Quando penso nos meus 30 anos, apenas os posso definir como sendo uma montanha russa de emoções. Com certeza nunca teria desejado passar pelo que passei, sofrer o que sofri, e chegar a esta idade e ter de continuar a lutar, muitas vezes sem resultado nenhum. Mas também nunca teria imaginado todas as coisas boas que me aconteceram. Concretizei o meu grande sonho, ser madrinha. É a grande responsabilidade da minha vida, e faço o possível para desempenhar o meu papel da maneira que acho mais correta.


Escrevi 2 livros. Nunca sonhei em escrever o que quer que fosse, pois nunca me permiti fazê-lo. Parecia-me uma ideia demasiado maluca para ser concretizada. Mas fi-lo, e mesmo sem saber bem como, sei que devo sentir-me orgulhosa, pois é obra minha, da minha imaginação. Agora até escrevo no meu próprio blog, outra maluquice a que nunca acreditaria pertencer.



No momento não tenho emprego, e este tem sido o meu maior desafio dos últimos tempos. Já trabalhei em várias áreas, em vários sítios, mas em todos "vesti a camisola" e dei o meu melhor. Adorei o meu último emprego, e por isso foi tão difícil ter de ver um projeto pelo qual também lutei encerrar. Seria ainda mais difícil se imaginasse que encontrar um novo emprego seria tão difícil. Resta-me a esperança de que estes 30 anos me tragam novas oportunidades.


Não consegui concretizar todos os sonhos que tinha para a minha vida. Muitos deixei pelo caminho, pois tornaram-se impossíveis de seguir adiante. Outros permanecem até hoje, e mais alguns foram surgindo. Objetivos tenho muitos. Alguns consegui concretizar nos últimos tempos. Terei a sorte e a ousadia de concretizar outras tantas coisas no futuro.


Chego aos 30 anos anos sendo teimosa (já não devo mudar), um pouco negativa (neste caso é melhor tentar melhorar), determinada, amiga do meu amigo, sensível, e acho que um pouco corajosa. Sei que sou boa madrinha, filha, irmã (se alguém disser o contrário eu nego até à morte). Sou também um pouco fria e mau-feitio (vá, admito). Sou extremamente organizada, dedicada, metódica. Sou feliz, apesar de todas as armadilhas que a vida me colocou no caminho.


Não sei como vai ser o futuro. Tenho curiosidade, medo, ansiedade para ver o dia de amanhã. Não peço muito, como nunca pedi. Aprendi a aceitar o pouco que o universo me possa dar. Apenas peço saúde, alegria, trabalho, alguma sorte, e claro, que os 30 possam continuar a parecer 18. Que a juventude eterna continue a existir na minha, na nossa alma, no nosso destino, na nossa vontade infinita de ser felizes. Já que são 30, que sejam os melhores de sempre!


36 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page